segunda-feira, 21 de março de 2011

Trabalho escravo, servil, assalariado e trabalho livre

Profª  Áurea Bueno       
HISTÓRIA     

I. Trabalho escravo, servil, assalariado e trabalho livre
1. Ciência História
Definição de História
“ História” é uma palavra de origem grega, que significa investigação, informação. Ela surge no século VI antes de Cristo (a. C.). Para nós, homens do Ocidente, a história, como hoje a entendemos, iniciou-se na região mediterrânea, ou seja, nas regiões do Oriente Próximo, da costa norte - africana e da Europa Ocidental. (...) Heródoto é considerado o pai da História, pois é o primeiro a empregar a palavra no sentido de investigação, pesquisa. Sua obra mais antiga começa assim: “Eis aqui a exposição da investigação realizada por Heródoto de Halicarnasso para impedir que as ações realizadas pelos homens se apaguem com o tempo”  
BORGES, Vavy Pacheco. O que é a História.

 Agente histórico
Cada homem é, no seu presente, fruto e somatória de tudo quanto foi produzido pelos demais homens que o antecederam. Assim, o homem percebe que sua existência é marcada por continuas transformações.
Ao tomar consciência do seu passado e do seu presente, o homem adquire “CONSCIENCIA HISTÓRICA” e, assim pode conceber-se como agente das transformações da existência humana: agente da história. Portanto, pode ter um projeto de futuro. O homem, porém não é agente da História de modo individual, mas sim coletivamente.

Processo histórico: linhas da historiografia: positivismo, materialismo marxista e história total.
Os primeiros historiadores conceberam a História como uma simples narrativa.
Na Idade Média, os fatos eram encarados como frutos de uma vontade divina.
Na Idade Moderna surgiu a “crítica histórica” .
Na Idade Contemporânea surgiram variadas linhas de historiografia:
Positivismoè reduziu a História à subordinação do método científico e valorizou os feitos do herói como agente histórico. Não criar questionamentos e debates relativos aos conteúdos estudados em sala de aula. Evitar o espírito crítico.
Materialismo marxistaè passou a atribuir às relações econômicas e suas decorrências um fator determinante das transformações da realidade humana, colocando o homem como o agente da sua própria história: é o materialismo histórico. O materialismo histórico se alia ao materialismo dialético que afirma que tudo está em constante mudança, nada é eterno, do velho origina-se o novo e, portanto, a História não se repete.
História totalè é o estudo do processo histórico num intercambio com todas as ciências, (filosofia, sociologia, antropologia, etc..) aumentando assim, as oportunidades de ampliar e conhecer novos campos a serem estudados.
Portanto, é necessário estudar História indo além dos fatos e datas, buscar entender os fatos dentro de uma circunstância (em épocas com características próprias mais longas ou menos longas). Saber que é o conjunto de relações econômico, social, política, cultural, jurídico, etc, constantes, que determinam como a sociedade funciona num determinado tempo e espaço.

Principais modos de produção: comunal primitivo, asiático ou oriental, germânico, feudal, capitalista, socialista.
Desde os tempos primitivos os homens agem sobre a natureza, explorando-a (coletar, caçar, pescar, pastorear, arar, plantar, tecer, comercializar) tirando dela seu sustento e satisfazendo suas necessidades. È o trabalho. O homem é a força de trabalho. Os instrumentos, a técnica, a terra e o capital são os meios de produção. A força de trabalho e os meios de produção são denominados forças produtivas.  Através do trabalho os homens se relacionam, ou cooperando ou explorando uns aos outros. O modo de organização da sociedade para conseguir sobreviver, baseados em fatores econômicos, inseridos em uma época e espaço, é chamado de modos de produção.
Cada modo de produção tem suas características próprias. Houve vários modos de produção no decorrer dos séculos. Os principais são: comunal primitivo, asiático ou oriental, germânico, feudal, capitalista, socialista.


Modos de produção
1. Modo de produção comunal primitivo: dos povos tribais primitivos ou atuais.
2. Modo de produção asiático: vivido pelos egípcios, mesopotâmicos, persas, fenícios, hebreus.
3. Modo de produção germânico: dos povos europeus, genericamente denominados “bárbaros” pelos romanos.
4. Modo de produção feudal: que vigorou na maior parte da Europa Ocidental, do século IX ao XV.
5. Modo de produção capitalista: estruturado nos tempos modernos e vigorando nos dias atuais.
6. Modo de produção socialista: idealizado pelos movimentos sociais dos séculos XIX e XX.

7. O modo de produção comunista foi idealizado como um projeto futuro pelos pensadores socialistas do século XIX e não foi, na realidade, vivenciado por nenhum povo. Na Rússia, China, Cuba etc. houve uma tentativa de implantar uma sociedade socialista em “construção do comunismo”.
I. Trabalho escravo, servil, assalariado e trabalho livre

II. Diferentes unidades e temporalidades
: Fonemas e símbolos
Fontes históricas
Ferramentas, cerâmicas, fósseis, múmias, pinturas rupestres, sambaquis, musicas, poesias, documentários, jornais, etc.

Divisão da História: história e pré - história.

ETAPAS DA HISTÓRIA:
Religioso A.C e D.C.
Por idades: Antiga ou antiguidade, Média, Moderna e Contemporânea

Divisão didática das épocas históricas: critérios religiosos e por idades
è Divide-se a História em etapas ou períodos para melhor estudá-la. Portando a periodização da História é exclusivamente didática. A divisão está baseada na história da sociedade européia. Entre as divisões usuais, temos duas que devem ser destacadas:

A. Critérios religiosos, fundamentada no nascimento de Cristo.
1.000      500         250            0          250      500      1.000

                                   A. C.                           d. C  ou A. D.

B. Outra divisão é por “idades”
1. Idade Antiga ou Antiguidade: do surgimento da escrita à queda de Roma, em 476 d.C.
2. Idade Média: período que vai de 476 até a tomada de Constantinopla pelos turcos, ou o fim da Guerra dos Cem anos, em 1453.
3. Idade Modernaè de1453 até a Revolução Francesa, em 1789.
4. Idade Contemporâneaè de 1789 até os dias atuais.
Períodos pré- históricos e suas descobertas: Paleolítico, Neolítico e Idade dos metais.
PERÍODOS DA PRÉ-HISTÓRIA
1. Paleolítico ou Idade da pedra Lascada – 100.000 a . C. – 10.000 a . C.
-          Recursos fornecidos pela natureza: Caça, pesca e coleta de frutos e raízes silvestres.
-          Nomadismo.
-          Habitação em cavernas.
-          Confeccionavam vestimentas com peles de animais e faziam fogueiras.
-          Vida coletiva.
-          Instrumentos rudimentares è matéria prima era pedra, ossos e chifres.
-          Começaram a se preocupar com a morte.

2. Neolítico ou Idade da Pedra Polida – 10.000 a.C.  - 4.000 a. C.
-          Desenvolvimento da agricultura, pecuária, do pastoreio, da tecelagem, da cerâmica e dos metais. 
-          Tornaram-se produtores.
-          Sedentarização.
-          Iniciam-se as trocas comerciais.
-          Algumas comunidades transformaram-se em vilas, aldeias e cidades.
-          Aperfeiçoamento de instrumentos.
-          Os seres humanos que desenvolveram a técnica da cerâmica, da tecelagem e da metalurgia tornaram-se artesãos.
-          No final do período, desenvolveu-se a escrita e foram constituídos os primeiros Estados.

3. Idade dos Metais – 3.500 a. C. – 3.000 a. C.
- Domínio sobre o cobre, o bronze e o ferro.

Evolução do homem: rhamapithecus, australopithecus, pithecantropus, homem de Neanderthal, homem de Cro-magnon, Homo sapiens.
a) Rhamapithecus: primeiro antropóide.
b) Australopithecus: descoberto na África existiu por volta de 1,5 milhões de anos atrás e não apresentava características predominantemente humanas, mas já possuía um cérebro mais desenvolvido que os demais primatas. Era bípede e sua dentição era semelhante a do homem atual.
c) Pithecantropus Erectus: conhecido como “Homem de Java” é considerado o primeiro tipo de homem.
d) Homem de Neanderthal: Descoberto na Alemanha, tendo existido entre 200.000 e 50.000 a . C.
e) Homem de Cro-Magnon: apresentava maior capacidade de raciocínio. Foi descoberto na França e apresentava grande semelhança ao homem atual.
f) Homo Sapiens: trata-se do homem atual, pouco se diferenciando do homem atual, mas é bem mais evoluído mentalmente que este último.

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário